Escolas municipais de SP fornecerão orgânicos

Além de serem mais saborosos, os alimentos orgânicos, cultivados sem agrotóxicos ou fertilizantes, trazem menos riscos para a saúde e, segundo evidências recentes, podem apresentar níveis maiores de vitaminas e minerais. Mas nem sempre o acesso a eles é tão fácil. É que, como são produzidos em escala e velocidade menores que aqueles cultivados em grandes latifúndios, eles costumam ter o preço mais alto. Agora, crianças da rede municipal de escolas da cidade de São Paulo, no entanto, poderão aproveitar todas as vantagens dessas frutas, cereais, legumes e verduras na merenda. É o que prevê a Lei Municipal 16.140, aprovada pelo prefeito Fernando Haddad e publicada no Diário Oficial nesta quarta-feira (18).

A previsão é de que a regra, que torna obrigatória a inclusão de produtos orgânicos ou de base agroecológica nas refeições servidas nas escolas, entre em vigor em até 360 dias. O objetivo da medida é introduzir hábitos alimentares ainda mais saudáveis nas crianças em idade escolar, e  incentivar – e baratear – o consumo de orgânicos em São Paulo. Por isso, a Lei também estabelece que a prioridade é comprar alimentos de agricultores e empreendedores familiares locais.

O projeto prevê também uma permissão para que o município pague até 30% a mais em comparação aos produtos convencionais. “É óbvio que não conseguiremos comprar orgânicos no mesmo preço que o alimento produzido em latifúndios. Por isso, é preciso uma autorização legal para que, pagando um pouco a mais, o alimento orgânico seja introduzido nas escolas e faça com que as crianças fiquem mais saudáveis”, afirmou o prefeito, em um comunicado oficial.

FONTE: Revista CRESCER

Link completo: http://goo.gl/1vXqqw